Wednesday, August 17, 2005

Germany is not the only country that picking up on what an awesome job the coalition is doing at getting our message out there. O Estado de S.Paulo (a Brazilian newspaper out of Sao Paulo) published an AFP article on Thursday (8/11/05) about the work of World Youth Day 4 All and Condoms4Life.

For most of you out there that don't read Portuguese (no, they don't speak Spanish in Brazil), the article basically says that a group of young people from around the world came to Cologne this week to tell the pope that he needs to lift the ban on condoms to prevent the spread of AIDS. It also mentions the press conference and how the panel presented information about the tragic effects AIDS worldwide and the urgent need for the church hierarchy to modify their policy on sex education. Overall, the article is very factual and interesting. Thanks, Brazil!

If you can read it, here it is...

Jovens pedirão ao papa que libere a camisinha Colônia, Alemanha - Jovens de todo o mundo, que chegaram nesta quinta-feira à Alemanha, farão um pedido ao papa Bento XVI durante as Jornadas Mundiais da Juventude em Colônia. Eles querem que o papa aprove o uso de camisinha para evitar a disseminação da aids, segundo anunciaram num comunicado de imprensa. Os jovens participarão, em Colônia, de uma reunião paralela às Jornadas e que acontecerá no World Youth Day 4 All ("Dia Mundial da Juventude para Todos"), de 16 a 21 de agosto.

A coalizão apóia a campanha Condoms4Life ("Preservativos pela Vida"), que denuncia publicamente os devastadores efeitos da proibição de usar preservativos. Dezenas de jovens de entre 18 e 30 anos, provenientes de todos os continentes, apresentarão seu argumento ao Sumo Pontífice durante as Jornadas Mundiais da Juventude. Segundo eles, a postura do Vaticano sobre o uso de camisinha afeta diretamente a saúde e a vida. Ao longo das jornadas, a coalizão de jovens, que se opõem à posição do Vaticano, apresentará informações sobre os trágicos efeitos mundiais da aids e pedirá que a hierarquia eclesiástica modifique urgentemente sua política em matéria de educação sexual.